terça-feira, 16 de setembro de 2014

ELEIÇÕES SOB A VISÃO ESPÍRITA



                 ELEIÇÕES SOB A VISÃO ESPÍRITA

O espírita vive, trabalha, convive com pessoas na terra, que é o educandário da sua evolução espiritual. Portanto tudo que o rodeia faz parte do seu aprendizado, inclusive o tema em questão que são as eleições e a escolha de um candidato, que é também da sua responsabilidade.

Escolher um candidato é, pelo menos na época atual, um grande sacrifício, para não dizer problema porque dentro da ética espírita escolhemos um candidato (a) que tenha um mínimo de elevação espiritual para dirigir uma cidade, um estado e um país. Mas carecemos bastante de criaturas com bons predicados o que nos obriga a votar no candidato que tenha o menor índice de erros, isto é, votando no "menos pior" e não no melhor.

Estando perto de uma eleição muito importante para nosso país e analisando os nomes que temos como opção, não observamos em nenhum deles a promessa de auxílio a toda população. O mais comum é a promessa de ajuda aos pobres porque deles vem a maior quantidade de votos. Não notamos nenhum indício de ajuda aos da classe média e alta, porque como são minoria darão menor número de votos. E "pega mal" dizer que vão ajudar os que estão bem de vida.

Não estamos aqui valorizando um nível social em desfavor de outro. Nem desprezando a ajuda à população carente que são os que mais precisam.
Analisando as classes sociais pela óptica da Doutrina Espírita.
Sabemos que existe reencarnação e os que hoje são de classe média ou rica nem sempre o serão numa próxima existência. O mesmo dizemos daqueles que estagiam na pobreza. Em qualquer nível social que o espírito reencarna visa sempre sua evolução intelectual e espiritual.

Muitos dos que vivem em extrema pobreza e carência vieram para também, saldar dívidas. Foram abastados em vidas passadas e não souberam fazer bom uso da riqueza, falhando na preguiça e no egoísmo. Usaram seus bens para prejudicar seus semelhantes. Ou vieram por opção própria na pobreza por vários motivos.

Muitos dos que hoje são ricos, foram pobres em outras encarnações (outras vidas). Vieram mostrar o que aprenderam na pobreza, aprendizado este que estão em seus inconscientes, mas que nunca se perdem.
O melhor candidato a qualquer tipo de governo é aquele que favorece TODAS AS CLASSES SOCIAIS.

O pobre precisa de emprego, ajudar os ricos é dar oportunidade de criar emprego à população. Castigar os ricos ou tirar do rico para dar aos pobres é a pior forma de governar porque altera a lei de Causas e Efeitos. Haja vista que os países que usaram este tipo de governo falharam.
Falharam porque se colocaram no lugar de Deus.

Muitos dos que hoje herdaram ou conquistaram riquezas, foram em encarnações passadas antigos escravos que hoje colhem o que plantaram com seu suor e trabalho. Seja do nosso país como do resto do mundo. E há os que hoje estagiam na extrema pobreza, foram donos destes escravos ou senhores feudais que abusaram de seus servos. Não nos referindo a apenas a escravidão oficializada, mas a qualquer poder arbitrário que domine seus semelhantes.

A qualquer nível social a que pertencemos estaremos em aprendizado. Na riqueza aprendemos a doação, a caridade e o desprendimento. Na pobreza vem a lição do trabalho, da humildade, da paciência, principalmente da fé.
Em tudo é necessário o equilíbrio. Um governo que beneficia apenas a população carente, em pouco tempo haverá estacionamento no progresso material, pois os que possuem maior cabedal monetário são os que promovem o progresso da Terra. Digo progresso na ciência, indústria, arte, comércio etc.

Favorecer apenas os abastados trará maior prejuízo à população geral e o empobrecimento da nação.
Um bom governante é aquele que auxilia todas as camadas sociais, pois todos possuem direitos e deveres iguais. Assim como Deus governa o Universo.

Os espíritos já previram que em tempo próximo haverá grande mudança em todo planeta; mudanças climáticas, territoriais e também políticos/sociais. Entidades espirituais de grande evolução estão já encarnadas dando esperanças de um mundo melhor quando elas estiverem na fase adulta e na direção dos povos.

No futuro veremos um sistema de governo totalmente diferente do atual. Só criaturas de grande amadurecimento espiritual terão capacidade de governar com sabedoria e amor. Pois um bom governante não governa para si, para sua família, amigos, para um partido ou só para os pobres, mas para TODO POVO.

É urgente que o povo amadureça na espiritualidade para merecer um governante espiritualizado. Com a evolução da humanidade, haverá evolução na direção de todos os países, inclusive o nosso.


                                            R.A./ MLucia






sábado, 8 de fevereiro de 2014

VOCÊ SABE O QUE É VIDA?



VOCÊ SABE O QUE É VIDA?


Todos sabem o que é vida, mas poucos sabem por que vivem.
De onde viemos?
Para onde vamos depois da morte?
A vida começa no berço e acaba no túmulo?
Como viver sem saber as respostas acima?
Você sabe?
Consegue viver sem saber?

Posso dar respostas para cada uma delas cabe a você aceitar ou não. E as respostas encontrei nos estudos da Doutrina Espírita.
Se me permitem...

Somos uma alma. O corpo é apenas uma roupa, uma cápsula ou envoltório da alma.
Somos eternos, nossa alma viverá para sempre mesmo com a morte do corpo.
Isto se chama bondade do Criador. Qual pai cria um filho para morrer após de todo esforço para viver?
O Criador ou Deus nos fez simples e todos iguais. Só a evolução diferencia um ser do outro e evolução é fruto do esforço pessoal.
Ninguém nasce anjo e nem pronto, são o que são por seus méritos.

"A alma dorme na pedra"
Já vivemos no reino mineral. Fomos água, ar, fogo e terra.
"A alma sonha no vegetal"
Já vivemos no reino vegetal. Fomos plantas, frutos, árvores e flores.
"A alma agita-se no animal"
Já vivemos no reino animal. Fomos todos os tipos de bichos, desde os microscópicos aos gigantes mamutes.
A alma acorda no homem"

Hoje somos homem ou mulher.
E seremos um cristo.

Quando vamos ao campo e sentimos aquela brisa perfumada, aspiramos o ar com imenso prazer. Porque já fomos cada item da natureza tornando-se comum a empatia com a terra.
Quando vamos ao mar nos deliciamos com aquela água salgada se movimentando em nossa volta, lembramos, inconscientemente, que já vivemos neste meio e que já fomos água.

Quando vemos maus tratos com os animais a dor em nós é tão grande quanto ao que sentimos ao ver um familiar sofrendo. Quanto mais evoluímos mais sintonizados ficamos com a flora e fauna.
Costumamos dizer: esperto como uma raposa, ágil como lebre, fiel como um cão, bravo como uma onça, por quê? Porque já fomos animal de cada espécie que existe. Parece comparação ingênua, mas que mostra uma realidade.

Dentro do corpo humano existe todo universo da natureza.
O homem não só veio do macaco como veio de tudo que existe, inclusive da inteligência suprema que chamamos de Deus e para ela voltará, mais completo e aperfeiçoado.

A semente de uma maçã é um pomar em embrião.
O homem é semente de um universo.

A reencarnação foi criada para a formação espiritual, mental e emocional da criatura. Nascemos a cada vida em formas masculinas ou femininas alternando em cada sexo para sabermos o que é ser homem e mulher. Numa vida somos ricos, noutra pobres; subimos à montanha do poder assim como vivenciamos a insignificância social; hoje possuímos beleza física e na próxima estagiaremos na feiura ou no físico comum. O que desprezarmos na atualidade na outra vez não o teremos, seja bens materiais, saúde, família, amigos ou trabalho.

A Lei da Ação e Reação ou Causas e Efeitos são instrumentos para os seres entenderem o que sente o resto da humanidade. Só sabemos a dor e a dificuldade de fora quando ela se manifesta dentro de nós.

Não existe castigo divino, existe Sabedoria Divina.
Atualmente o homem está percebendo que tudo que existe faz parte dele. A natureza é sua mãe, os animais seus irmãos e a humanidade, parte de si mesmo.

Não existe separação senão na mente da criatura. Tudo é uno.
Viver em harmonia com todos é viver em harmonia consigo mesmo.
Tudo evolui, nada fica parado. Estamos em constante ascensão.

Quanto mais consciente ficamos, mais percebemos que tudo são nós.
Quanto mais amamos, mais próximo ficamos do Amor Supremo que chamamos de Deus.

Felicidade é fruto da evolução espiritual.


                                           Miryã Kali/ MLucia





segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

LEI DA HARMONIA







     





LEI DA HARMONIA

Os choques físicos e espirituais são de naturezas idênticas.
Duas massas de matérias fechadas entre si, quando se encontram há choque:

[_] > [_] >>>[_][_]<<<

As energias quando se aproximam de outras energias se interpenetram ou caminham juntas e não se chocam porque possuem uma natureza aberta.

^^^^^^^^^^
^^^^^^^^^ ^^^^^^^^^^ ^^^^^^^^^^^

Uma criatura de pensamentos inflexíveis e fechada em seu egoísmo e personalismo. Quando encontra outra pessoa de semelhante atitude, facilmente entra em choque; há discussão, agressão física ou verbal.

A matéria e a energia não se chocam porque estão em níveis diferentes.
O ser evoluído nunca é atingido pelo inferior por estar em nível diverso. A popular frase: "O que vem debaixo não me atinge", é de uma sabedoria que comprova as semelhanças da física material com a espiritual.

A criatura em harmonia consigo mesma, com Deus e com tudo que Ele criou, nunca entra em choque com ninguém devido a sua natureza aberta e flexível.

O amor é o que facilita as aberturas e harmonização nos intercâmbios humanos. Os atritos da humanidade são resultados dos fechamentos provocados pelos Egos. 

Quanto mais amorosa e aberta é a criatura, mais ela se transforma em Energia Divina.

Fiquem na paz e no amor.

                                    Miryã Kali/ MLucia






segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará


                                              CONHECEREIS A VERDADE


 “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará... João 8:32”

Esta frase de Jesus de grande profundidade merece estudos e maiores interpretações para aqueles que ainda não entenderam a importância do conhecimento da Verdade.
A maior causa dos sofrimentos do homem é a ignorância.
Como conhecendo a Verdade nos libertaremos?

Existem prisões que encarceram o homem como celas sem grades, costumam tolhe-lo no crescimento espiritual tornado-o um ser infeliz. Podemos nomear estas prisões como: ignorância, medo, falhas morais e o total desconhecimento de si mesmo.
A Doutrina Espírita veio como missão libertar a humanidade destas grades invisíveis e ampliar a realidade cósmica da vida.
O avanço da ciência e tecnologia fez o mundo avançar em progresso material trazendo conforto e rapidez nos meios de comunicações por outro lado, há um desconhecimento maciço a respeito das coisas espirituais.
Um dos maiores medo que existe em toda criatura humana é o medo da morte. Através das comunicações mediúnicas, como a psicografia, vidências, materializações etc., veio mostrar que a morte não existe para o espírito imortal, apenas ao corpo de matéria. A maior das libertações do medo do nada e da morte veio destas manifestações.
A humanidade passou a sofrer menos o ataque das doenças quando descobriu os micróbios e os contágios gerados pela falta de higiene. O conhecimento das causas das moléstias fez com que a prevenção libertasse o homem de muitos males físicos.
Ao estudar as leis universais e imutáveis criadas por Deus, as criaturas passam a entender que o erro causado por suas próprias imperfeições morais é que as fazem sofrer e não o chamado "castigo divino" que não existe.
Quando nos sentimos ofendidos passamos a culpar o outro que nos magoou esquecendo que é o nosso orgulho que se deixou magoar, pois a ciência de si próprio busca as causas dentro de si e as corrige.
O conhecimento da lei universal das Causas e Efeitos, ou da Ação e Reação impede o homem de errar e, consequentemente, de sofrer.

O conhecimento liberta.
Conhecer a Verdade é aprender tudo sobre o elo que há entre a vida material e espiritual.
É saber de onde viemos, por que nascemos e morremos e para onde vamos.


Miryã Kali/ MLucia


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

A DOUTRINA ESPÍRITA



                                                   A DOUTRINA ESPÍRITA


A finalidade da Doutrina Espírita é aperfeiçoamento do do homem elevando seus sentimentos e, principalmente, expandir os conhecimentos sobre a finalidade da vida; responder os porquês dos sofrimentos e as diferenças da humanidade.
A Doutrina trabalha com o interior humano para que o exterior se renove.
O Espiritismo codificado por Kardec veio com a finalidade de vacinar o homem contra a dor, esclarecer sobre a finalidade da vida e do sofrimento. Mostrando que a felicidade que busca é fruto da evolução espiritual.
Através do Evangelho ensina a amar a Deus e às criaturas; através de sua Filosofia dá a compreensão exata da vida material e espiritual e por intermédio de suas experimentações científica comprova a continuação da vida após a morte e as manifestações da natureza desta e de outras dimensões.
A Doutrina Espírita é um portal aberto à compreensão da vida, da reencarnação e principalmente, desperta o coração do homem inteligente e abre a inteligência do homem bom.

Miryã Kali/ MLucia






segunda-feira, 27 de agosto de 2012

SOBRE REGRAS NUM CENTRO ESPÍRITA

 
 SOBRE AS REGRAS NO CENTRO ESPÍRITA


Jesus curou um paralítico durante o dia de sábado, tão sagrado no meio judaico. Quebrou uma ordem farisaica em nome da caridade.
Ao ser duramente criticado, respondeu: “O sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado” ( Mateus cap. 12 :1 a 14 - Lucas 13:10 - João 5:10 a 17)
“O Filho do homem é senhor do sábado”. (Lucas-6: 1-5)

                Assim também as regras em geral, foram estabelecidas para servir ao homem e não os homens para se escravizarem as regras.
No meio espírita corre a aplicação da disciplina no trabalho e nos estudos, o que promove uma ordem e equilíbrio geral para os trabalhadores e assistidos. O que não pode ocorrer é privar uma ou mais pessoas de um auxílio de emergência apenas para não se quebrar uma regra, que quase sempre, é feita pelos dirigentes encarnados.

               Os métodos de passes ou outro tipo de tarefa feita nos centros são de grande importância quando feitos todos de forma uniforme e equilibrada, mas nunca é demais lembrar que os métodos não podem ser considerados superiores aos sentimentos com que são feitos. Um trabalhador que opere com perfeição técnica nunca é superior ao que obra, mesmo imperfeitamente, de forma mais amorosa. Os sentimentos com que se atua no trabalho são sempre o mais importante.
Que se façam os passes, o atendimento fraterno e outros trabalhos da casa de acordo com as regras pré-estabelecidas pela direção para que a ordem permaneça, mas nunca esqueçamos que:

“A CARIDADE É SENHORA ABSOLUTA DE TODAS AS REGRAS”

Miryã Kali / MLucia


segunda-feira, 16 de abril de 2012

O QUE É EVOLUÇÃO?


O QUE É EVOLUÇÃO?




Despertou-me grande interesse dois termos do livro ANATOMIA DO DESENCARNE, de Cícero Marcos Teixeira, que são: maturidade consciencial e evolução espiritual. A obra se referia à lucidez do despertar após a morte. A criatura que conquistou estes itens é a que mais rápido percebe que desencarnou.
O que nos levou a pensar que não basta ter apenas maturidade consciencial é necessário obter também, evolução espiritual. São duas coisas distintas, só uma delas não completa a evolução.

Maturidade consciencial seria a conquista do saber o que somos, porque aqui estamos e o que buscamos. Consciência de unidade com o universo e com tudo que ele contém. Mas evolução espiritual não consiste em ter só consciência ampliada é preciso também crescimento espiritual que é a maturação dos sentimentos, principalmente, do amor universal. Por este motivo que a Doutrina Espírita veio completa como filosofia, ciência e religião, para desenvolver todas as necessidades humanas para evoluir. A Filosofia engrandece a compreensão, a Ciência explica e o Evangelho educa os sentimentos.

Em resumo, o homem nasceu no planeta Terra apenas para conquistar: AMOR E SABEDORIA.Através da Sabedoria adquire maturidade consciencial e do Amor, a evolução espiritual.

Miryã Kali/ MLucia

segunda-feira, 2 de abril de 2012

USO DA PALAVRA "CARMA"


USO DA PALAVRA "CARMA"

 
 
Este texto que se inicia nada mais é do que uma troca de experiência entre trabalhadores espíritas, pois as mensagens e escritos que recebemos pela Internet através de sites espíritas e grupos de estudos nem sempre abordam o assunto em pauta.
 
O motivo de estar escrevendo sobre "carma" não seria uma explanação sobre o tema, mas expor o resultado do uso desta palavra, principalmente, num Atendimento Fraterno no centro espírita.
Atendi uma jovem mulher, no último trabalho de Atendimento Fraterno, muito fragilizada e emotiva em razão de um aborto provocado pelos médicos no seu segundo mês de gestação devido a uma gravidez tubária que lhe poria risco de vida. Engrossando seu sofrimento, outro motivo de estar procurando ajuda espiritual foi devido a um mau atendimento "fraterno" que recebeu em outro centro espírita. Neste local, ouviu da mulher que lhe atendia, que tudo aquilo que ela passou era devido a um carma de vidas passadas e que, novamente, passaria por outro aborto, mas que futuramente teria o filho tão desejado, depois claro, de "pagar" todos os carmas.
 
Espantou-me o fato de uma pessoa que trabalha num atendimento fraterno mostrar tanto desconhecimento sobre a Doutrina e de usar um termo que nem é espírita (carma) para explicar "fraternalmente" a uma criatura tão sofrida as causas de seus padecimentos. Esta jovem que mostrava uma grande doçura em seus apontamentos e, inclusive, querendo tanto ser mãe e não conseguindo, passou a trabalhar num abrigo de crianças carentes e abandonadas servindo de mãe temporária a muitos bebês sem mães. Ela sorria e se iluminava ao contar que colocava três ou quatro crianças de uma vez, em seu colo e as acariciava e cantava para elas com extremado amor. Sentia-se doída só de pensar em perder outra vez um filho tão desejado. Possuía uma ótima vibração e pela meiguice e amor extremado pelas crianças poderia ser até outra "Meimei" vindo à terra para uma tarefa sobre maternidade.
 
Muito cuidado devemos de ter ao julgar as vidas alheias.
 
O que sabemos sobre as dívidas dos outros se de nem das nossas temos ciência?
 
Nem todo sofrimento humano é devido a dívidas ou reações de atos negativos cometidos em vidas anteriores. Conheci um homem com uma deficiência física acentuada que tinha dois filhos com os mesmos problemas de forma mais amenas. Uma criatura com pouco conhecimento da Doutrina Espírita logo taxaria estas deficiências como um "carma" ou efeito negativo de um ato inferior de vidas passadas, mas este homem diante de um médium muito conceituado soube que só ele possuía uma dívida a saldar, mas seus filhos não. Eles pediram, antes de reencarnar, esta pequena deficiência para melhor aperfeiçoar uma virtude e bloquear uma falha moral. Concluindo: eram deficiências para fim de aprendizado.
 
Creio que, na visão amorosa de Deus, a Terra é mais um educandário do que uma penitenciária.
 
Refiro-me a este caso apenas para grifar o quanto desconhecemos as causas dos sofrimentos alheios e muito cuidado temos que ter ao nos referirmos a dívidas ou carmas alheios. Nem mesmo aos amigos e familiares devemos usar estas palavras descuidadamente.
 
O ideal seria dar uma injeção de bom ânimo aos que sofrem, desenvolvendo a fé na bondade Divina e, inclusive, incentivar o estudo da nossa Doutrina Espírita para que o assistido possa entender melhor a finalidade da vida na terra. Fazendo com que descubram por si mesmo as causas de seus pesares.
 
Nossa palavra no Atendimento Fraterno deve sempre ser de alegria, otimismo e muito amor. A Doutrina Espírita deve ser lembrada como Consoladora, sempre!
Mitera/MLucia
 
 
DEFINIÇÃO DA PALAVRA CARMA:
 
 
Carma ou karma (do sânscrito कर्म, transl. Karmam, e em pali, Kamma, "ação") é um termo de uso religioso dentro das doutrinas budista, hinduísta e jainista, adotado posteriormente também pela Teosofia, pelo espiritismo e por um subgrupo significativo do movimento New Age, para expressar um conjunto de ações dos homens e suas consequências.


Budismo:
No budismo, Kamma ou Karma é a palavra para "ato" ou "ação", e nesse sentido usa-se a palavra em textos mais antigos para ilustrar a importância de desenvolver atitudes e intenções corretas. Considera-se que por gerar carma os seres encontram-se presos ao samsara (roda das reencarnações), e portanto a última meta da prática budista é extinguir o carma.


Esoterismo:

Alguns movimentos esotéricos costumam falar em karma no sentido de "conjunto de deméritos acumulados" e em dharma como "conjunto de méritos acumulados" (portanto o contrário de karma). Essa terminologia não é consistente com o uso tradicional das religiões orientais, principalmente porque Dharma significa ensinamento ou verdade em vez de mérito ou virtude. Outros adotam um conceito semelhante ao do Espiritismo.

Espiritismo:

Na visão espírita cada ser humano é um espírito imortal encarnado que herda as conseqüências boas ou más de suas encarnações anteriores. Embora Allan Kardec não tenha usado em momento algum a palavra "karma" ou qualquer de suas variações, esta veio a ser mais tarde incorporada ao jargão espírita por alguns espíritas, para designar o nível de evolução espiritual de cada indivíduo, ao qual se devem as circunstâncias favoráveis ou desfavoráveis que venha a encontrar
No entanto, para explicar isto o espiritismo apresenta um conceito mais abrangente: a Lei de Causa e Efeito. Enquanto que normalmente o conceito de karma sugere uma dívida a ser resgatada, a lei de causa e efeito nos apresenta a idéia de que o futuro depende das ações e decisões do presente. Uma causa positiva gera uma efeito positivo, enquanto que uma causa negativa gera um efeito igualmente negativo.

segunda-feira, 12 de março de 2012

O COMPROMISSO DO ESPÍRITA





                 O COMPROMISSO DO ESPÍRITA


Todos nós estudiosos e frequentadores de centro espírita sabemos que temos vários compromissos a cumprir em consideração aos tantos benefícios recebidos através desta doutrina luminosa que é a Doutrina Espírita.
Começando com Kardec, estudando sempre seus livros básicos para colocar na mente a profunda filosofia espiritualista trazida pelo Espírito de Verdade e seus auxiliares. Educamos o coração com os ensinamentos do Evangelho de Cristo fazendo a reformulação do nosso universo interno; criando o Reino de Deus em nós.


Os compromissos do espírita não são apenas ligações com Kardec e Jesus. Não apenas com seu centro e ao centro que rege sua casa espírita.
O espírita tem obrigações com o universo inteiro. Começando pelo seu planeta Terra e tudo que está contido nele.
Cuidar de seu envoltório físico que é seu livro de estudo no chão planetário.
Há o dever com a família, fazendo-a unida e ciente dos conhecimentos doutrinários. Dando exemplo de moral e amor universal para que sejam absorvidos pelos familiares.


Há o dever com a sociedade, não fomos educados para viver em círculos fechados de família, amigos ou simpatizantes de nossa linha espiritual.
Há o dever de educar as crianças e jovens para evitarem os vícios, fugindo da marginalidade e do crime. Ensinar a moral elevada guiando-os à evolução.


Há o dever com a ecologia: reciclando materiais básicos; cuidando da pureza da água, da terra e do ar.
Há o dever com os animais que são nossos irmãos menores. Vacinando, alimentando e também dando carinho aos seres que possuem todos os sentimentos em embrião.


Há inclusive, o dever de evitar as diferenças que estão ocorrendo em vários centros espíritas onde vemos separações causadas por opiniões diversas que nada contribuem para fortalecer a Doutrina Espírita.
Toda divisão faz perder a força de elevação.
Há o dever de não considerar sua casa espírita melhor do que a outra. Todos os centros possuem ligação com a mesma Luz Divina.
Onde se encontra amor e estudo, aí estão os alicerces da Doutrina dos Espíritos.


Só em um aspecto o espírita não tem compromisso algum: com o mal.



                                           Miryã Kali/MLucia




segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

SÓ OS PASSES RESOLVEM?


                                      SÓ OS PASSES RESOLVEM?
 
 
Há muito que andamos observando que os centros espíritas, inclusive o nosso, preocupa-se demasiado com os passes. A forma de aplicação, locais para formar câmaras de passes, preparação de médiuns para aplicar passes, enfim, uma preocupação quase exclusiva com esta tarefa.
 
 
Rememorando a época que Kardec vivia e atuava na Doutrina Espírita, lendo toda obra da Codificação e a Revista Espírita criada por Allan Kardec não encontramos nenhuma referência aos passes, do que concluímos que a Codificação Espírita não foi trazida pela falange do Espírito de Verdade para se criarem câmaras de passes em centro. Não que estejamos aqui invalidando este auxílio fraterno que muitos assistidos precisam, sem esquecer que o próprio Jesus aplicava suas poderosas energias com a mão espalmada sobre a cabeça dos necessitados, mas sempre dizia depois: "Vai e não erre mais". Ensinava a não mais errar, não só curava.
 
 
No trabalho de Atendimento Fraterno notamos que as pessoas querem apenas se fortalecer através dos passes e pedir que o centro espírita, ou o plano espiritual, resolvam seus problemas sem nenhuma participação de si próprio no auto aperfeiçoamento e cura. Poucos, mas muito poucos, procuram um centro para ampliar seus conhecimentos espirituais, isto é, para estudar a Doutrina. Quando os problemas se vão as pessoas se ausentam do centro sem saber como se defender na parte espiritual, saem mais ignorantes de quando entraram e sentindo novamente as dificuldades, retornam em busca dos PASSES ficando, muitos, dependentes deste auxílio por anos.
 
 
Há uma necessidade urgente de se mudar a imagem que a Doutrina Espírita passa para a sociedade. Hoje notamos que os que buscam um centro vão para encontrar nestes locais um milagre para resolver problemas do trabalho, ou falta de trabalho; mudar milagrosamente os que os incomodam; cura para doenças e depressões; há até os que buscam casamento e batizados dentro do Espiritismo, fato ocorrido muitas vezes comigo. Mas os que procuram estudar e conhecer é a minoria.
De quem é a culpa?
Do próprio centro que não procura enviar os assistidos para estudar a Doutrina, para conhecer a vida espiritual através dos bons livros espíritas, inclusive os de Kardec. Há apenas a preocupação de qual tipo de passe indicar, a cor dos papéis para marcar a frequência;as fichas da consulta espiritual; sem que percebam, estão se tornando burocratas dos passes.
Sabemos que em quase toda assistência há a palestra breve do expositor, mas por melhor que seja esta preleção não há o tempo necessário para, não só, evangelizar como ensinar mais coisas contidas no Livro dos Espíritos, pois a Doutrina Espírita não se limita apenas ao Evangelho.
 
 
É de suma importância dizer ao assistido que ele tem que estudar para saber de onde veio (antes de reencarnar), para quê nasceu e para onde vai depois que desencarnar. Qual a finalidade da vida.
 
 
Já fiz estas perguntas a muitas pessoas comuns e também as cultas com mestrados, doutorados e outros títulos acadêmicos que não sabiam nenhuma das respostas mostrando a necessidade dos centros espíritas de incentivarem os assistidos a ESTUDAR O ESPIRITISMO e não só tomar passes.
Digo sempre aos que sentam a minha mesa que passe é uma ajuda periférica, mas que a maior ajuda que podemos dar a eles é o conhecimento do Evangelho e da parte filosófica e espiritual da Doutrina Espírita. Indico a livraria e a biblioteca, dou a relação de livros da Codificação e dos outros doutrinários para que eles mesmos através dos conhecimentos adquiridos, resolvam seus problemas e aprendam com eles. Inclusive, incentivo a fazer cursos gratuitos que há no centro. Só depois dou a papeleta do passe, quando há necessidade dele.
 
 
No final do último trabalho de Atendimento Fraterno recebi o texto acima que se encerrou com a frase: "O centro tem a obrigação de ensinar os homens a se libertarem e não ficar dependentes dos passes."
 
 
 
A famosa frase que diz que muitos buscam a Doutrina Espírita pela dor ou pelo amor, seria completa ao dizer que também que há os que buscam pela sede de conhecimentos espirituais e é esta a maior tarefa de um centro espírita que deveria sempre se chamar: CENTRO DE ESTUDOS ESPÍRITAS.
 
 
 
                              
                                        SOBRE O ATENDIMENTO INFANTIL
 
 
Notamos no nosso centro uma grande preocupação em levar a família para a consulta espiritual o que sobrecarrega os trabalhadores desta área. Mas o que se observa nas famílias é mais a falta de disciplina e educação do que a necessidade de passes a linha do P3.
Limpa-se as feridas, mas não cura as doenças. Trabalha-se com as consequências sem resolver as causas, isto é, só a ajuda periférica do problema.
 
 
Quando atendemos os pais em separados e depois a(s) criança(s), encaramos certa confusão. Atendi um casal que pela vibração estavam muito bem e disseram que o ambiente de casa estava relativamente bom e depois veio a filha dizendo que o casal brigava. Em quem acreditar? Se ao retornarem os pais para a conclusão de qual passe a criança, ou eles mesmos, deveriam tomar eu não poderia em hipótese alguma dizer que a criança falou o contrário do que me disseram porque haveria um problema para a criança depois. Pergunto: qual a finalidade de se atender todos em separado?
 
 
Antes, quando atendiamos a família junta dava-se para se perceber como é o ambiente caseiro só notando eles reunidos a minha frente. O pai olhando os filhos enquanto a mãe falava, vice-versa, a paciência de ambos para com os filhos inquietos, um olhar, uma expressão facial de cada um, enfim, a família junta dava mais detalhes de como viviam do que o atendimento em particular. Notava-se se havia amor e paciência entre eles ou não.
O que as famílias mais precisam, como foi dito acima, é de educar e disciplinar os filhos. Pois ouço muitos os pais dizerem: "trouxe meu filho(a) para tomar passes porque anda muito rebelde e malcriado(a)." Pergunto: passes educam? P3E ou P3C fazem os pais serem mais pacientes e amorosos?
 
 
Há também muita condenação aos pais sobre os problemas dos filhos, claro que muitos são os culpados das dificuldades da prole, mas não é regra geral. Os pais de hoje, embora muito liberais com a educação, são muito mais amorosos e amigos dos filhos dos que de antigamente. O que deveria haver é o equilíbrio entre os dois tipos paternos.
Pais são seres imperfeitos tentando educar e criar criaturas imperfeitas, podem ter muitas falhas, mas a maioria ama os rebentos. Não há tanta necessidade de enviar a família inteira para a consulta espiritual, o bom senso tem que prevalecer.
Antigamente não havia nenhuma criança tomando passes de adultos e muitas foram auxiliadas com o passe próprio para a infância, hoje quase é a metade dos assistidos dos passes não infantis.
 
 
Retorno ao tema das crianças da Nova Civilização que estão reencarnando em massa atualmente. São criaturas um pouco mais evoluídas que as de ontem, mas também, extremamente sensíveis às vibrações da casa, da sociedade e da Terra.
 
 
É necessário ensinar aos pais para viverem o máximo possível em harmonia, pois até uma rusga pode provocar uma avalanche de sentimentos negativos na criança, o que pode ter acontecido no caso da menina que narrei acima.
Mais do que tudo, o centro tem que ensinar, informar e ajudar os assistidos a ficaram independentes dos passes.
 
 
                                                            Maria Lucia